segunda-feira, 21 de abril de 2008

Histórias!

A minha história é o seguinte: Tenho 24 anos e durante quase todo o meu percurso escolar fui vitíma de bullying. Os meus agressores sempre foram diferentes de ano para ano. No 1º e no 2º anos da primária era vitíma de um colega meu que era 1 ou dois anos mais velho do que eu. A minha família não sabe mas esse colega e mais outro até tentaram abusar sexualmente de mim, só que eu consegui fugir. Depois no 3º ano fui estudar para um externato e aí as minhas agressoras eram três colegas minhas, ou melhor uma e as outras duas eram uma espécie de escravas dela, que faziam tudo o que ela mandava. Elas faziam quase tudo: a que era a chefe tentava intimidar-me, só uma delas é que queria ser minha amiga, só que a outra não a deixou. Lembro-me que uma vez numa festa de carnaval na escola não queriam que uma colega nossa que estava no primeiro ano me emprestasse a maquilhagem. Até tinham chegado ao ponto de me roubarem os material escolar (os marcadores), mas não tinha como provar que as coisas eram minhas. Os meus amigos eram a turma do 4º, os rapazes do 3º ano e algumas pessoas do 1º e do 2º ano. os professores não sabiam o que haviam de fazer. Quando passei para o 4º ano fiquei lá na escola na 1ª parte do primeiro período e fiz o resto do ano numa pequena escola primária numa terra onde o meu avô trabalhava antes de se reformar. Aí nessa escola eu dava-me bem com os meus colegas, porque eles eram os meus companheiros de brincadeiras quando ia visitar os meus avós. O único problema era a professora dessa escola, acho que ela sentia que tinha sido castigada por ter ido dar aulas numa terra tão pequena! e como eu era um bocado viva, tornei-me na vítima preferida da professora. Lembro-me duma vez de ela tinha deixado todos os meus colegas irem almoçar, mas a mim só me deixava sair quando resolvesse um problema de matemática, e quanto mais insistia para ela deixar-me ir almoçar, mais ela dizia que não, até que finalmente deixou-me ir embora. A meio do caminho encontrei a minha avó e ela deu-me um estalo porque estava muito preocupada comigo e pensava que eu tinha atrasado de propósito para a hora de almoço. Quando eu contei a ela o que se tinha passado a minha avó arrependeu-se logo do que me tinha feito e pediu-me desculpa. Outra situação que se tinha passado nesse ano lectivo foi o facto de me terem falsamente acusado de ter colocado raticida nos nossos copos que usavamos para bocechar os dentes no fim da hora do almoço. O 5º ano foi o pior da minha vida, na minha turma estavam alguns dos meus amigos de infância e aqueles com quem eu tinha andado na primária, pensava que se fosse mais divertida e mais engraçada me achariam piada. Mas revelou-se totalmente o contrário: era maltratada tanto dentro como fora da minha turma por algumas pessoas; aqueles que eu julgavam que eram meus amigos viraram-se contra mim, na minha turma havia uma ou duas raparigas que andavam a arranjar intrigas só para eu ficar mal vista. Fiquei muito desiludida com algumas pessoas que eu julgava que eram minhas amigas. Passei de ano e fui viver para outra terra. No 1º período do 6º ano estive no limite de perder a minha sanidade mental. Quando mudei de escola colocaram-me numa das turmas mais problemáticas da escola. O problema eram as aulas de música: aí eu era vitíma de dois rapazes e um deles era repetente. Fizeram de tudo: desde baterem-me dentro da sala de aula, mal o professor virava as costas, até chegarem ao ponto de um dia esconderem as minhas coisas (nesse dia tinha tentado fazer queixa deles no conselho executivo, mas fui impedida por uma auxiliar de acção educativa, ela em vez de me apoiar levou-me de volta para a sala de aula). A directora dessa turma dizia-nos para não nos metermos uns com os outros, mas era impossível. Cheguei mesmo faltar às aulas de música só para fugir às agressões e refugiava-me na biblioteca. Um dia estive sozinha com essa directora de turma e contei toda a verdade do que eles me faziam, contei também que um dia à saída da aula que eles tinham tentado agredirem-me mas a minha sorte foi que uma professora ia a passar e impediu-os de fazerem isso. Ela depois confrontou-os e eles diziam que era sempre mentira. Havia também o problema que eles eram superprotegidos pelo resto da turma, não sei dizer se era por amizade ou se era por medo. Cheguei mesmo quase a ser agredida por algumas das raparigas dessa turma. Mas corri o mais rápido que pude até à porta do refeitório onde estava uma fila de alunos para ir almoçar e eles impediram que elas também me agredissem. Em casa também cheguei a receber uma carta da escola a dizer que corria o risco de chumbar, não tinha motivação nenhuma, mas tentavam ajudar-me no que podiam, principalmente a minha avó, ela tinha encorajado a apresentar queixa deles no conselho executivo, mas quando me puseram frente a frente com um deles, simplesmente perdi a coragem, foi por medo. Até que finalmente conseguir mudar de turma, onde eu encontei aqueles que são até hoje os meus melhores amigos, apesar de continuar a ser vítima de bullying, tanto desses dois rapazes da minha ex-turma, como de um grupo de rapazes do 8º ou 9º ano. Estive assim até ao final desse ano. até que a nossa recebeu durante 3 anos uma rapariga de outra terra e alguns de nós tinhamos sido vítimas dela: desde ela andar à briga com algumas raparigas da minha turma, até mesmo tentar cortar os pulsos em plena sala de aula, numa espécie de chantagem psicológica.Bem, estivemos juntos até irmos para a escola secundária, alguns foram para áreas diferentes e outros para outras escolas. A turma onde me colocaram nem era boa nem era má. Mas por problemas pessoais acabei por chumbar de ano e alguns deles também, até que vieram pessoas de outros sitíos e juntarram-se a nós e estávamos a dar-nos bem uns com os outros. Até que quando a nossa turma passou para o 11º juntou-se com outra turma e foi aí que os problemas começaram novamente: intrigas e mais intrigas. Desta vez não houve violência física. Havia mais exclusões ou até mesmo discriminações. O conselho que dou a todos que sofrem de bullying que não tenham medo, desabafem com os vossos pais e professores, porque é isso que os vossos agressores querem, que vocês tenham medo deles! Os professores também devem estar mais preparados para este tipo de problemas, não podem nunca serem passivos. e tanto os pais das vitímas como dos agressores têm que estar mais atentos ao que se passa na vida dos vossos filhos, porque eles podem ter graves problemas e vocês não dão problemas. É preciso ir ao fundo deste problema e tentar resolvê-lo, quanto mais pressão e mais união houver provavelmente deixará de existir bullying em toda a parte. E já agora, parabéns ao vosso site, isto é um bom caminho para resolver este problema.


Ana , 24 anos

18 comentários:

David disse...

Muitos Parabéns pelo V. Blog... Como Pai, professor e cidadão fiquei com muito orgulho no vosso trabalho.... http://scriptorium-virtual.blogspot.com/;

David disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vítor Ramalho disse...

Este blogue anda um pouco parado.
Sugiro que façam diariamente uma pesquisa nas noticias on line, julgo que vão ter muito que postar.
Fazem muito bem em eliminar os comentários de quem vêm aqui para vos insultar. essa escumalha não tem direito a ter opinião.

Maria Inês Martins disse...

PARABÉNS gostei da vossa ideia de criar este sait. Eu como aluna do 5ºano da escola de torres novas estou a fazer um trabalho sobre o bullying e tirei a vossa historia para amostrar aos meus amigos.

Monica gostaves disse...

Nao sei eu também sofri bullying é tão difícil porque sou gorda é difícil sou feia...

Anónimo disse...

muitos parabens tiveste muita coragem e o teu blog é muito bom ajuda muitas pessoas de bullying

Anónimo disse...

eu estava fazendo um trabalho de bullying e gostei muito da sua coragem
parabéns por nao conyinuar sendo vitima.
usei sua e]historia como explicaçao na sala de aula.
sou do 8º ano

aline disse...

pessoas que são vitimas de bullying devem manter a forsa e pedir ajuda porque pedir ajuda não á um sinal de fraqueza mais sim de coragem

Anónimo disse...

Nhaii curtii esse blog.
Bom eu sofro com o 'PROBLEMA' da bullying de varias maneiras na escola não só eu como outros alunos e a direção da minha escola age como se isso fosse uma coisa natural. Bom eu uso aparelho e na minha escola tem um grupinho de meninas mais velhas que vivem ofendendo os outros elas me xingam de boca de lata e eu odeio isso, mais isso ainda não é o pior (alias se fosse apenas isso). um dia desses minha amiga ficou muito brava com esses comentarios e falou para elas pararem,bom claro que não adiantou só piorou a situação ai elas ficaram dizendo que eu me defendia com as amigas e que elas iam bater em mim e em minha amiga.com o tempo elas pararam de me xingar mais isso não durou muito tempo, na hora do intervalo elas escreviam bilhetes e colocavam enbaixo da minha carteira.os bilhetes eram mais ou menos assim -"cuidado quando andar na rua sua aparelhada,agente vai te catar e arrancar seu aparelho e cortar seu cabelo".
Bom elas não assinavam mais eu sabia que eram elas e elas mesmo iam na minha sala no intervalo e colocavam na minha mesa algumas pessoas da minha sala vinham me contar que era elas ai resolvi levar isso para a direção e o cara de pau do diretor disse:-olha eu não vou poder fazer nada por você se elas te agredirem fora da escola eu não tenho nada aver com isso e joga esses bilhetes fora e não liga.
Bom para os meus pais eu nem contei porque se eu contei pro diretor e ele não fez nada meus pais não poderiam fazer muita coisa.
Até que então ouvi falar da bullying e se assim que começar as aulas os insultos e as ameaças continuarem vou contar aos meus pais e vou denunciar.

Anónimo disse...

eu e meu amigo willian b.Gostamos muito das suas historias são exemplos de pessoas que sofrerão bullyn e não contarão para seus pais e professores.

jhou disse...

eu axei essa historia legal otima demais eu gostei dessa historia foi daora meu deus muito de mais esse bullyng demais
ass: jonathan pereira de souza e pedro martins

Anónimo disse...

ola foi muito legal ler as histórias de bullying e muito interessante .aqui na escola já aconteceu bullying várias vezes;eu espero que não aconteça mais .essas histórias são muito interessante para pessoas que nunca leram . beijos Bianca e Natalia.fim

Anónimo disse...

meu comentario é sobre o bullyng.
nos sabemos que o bullyng só tras a
agresão,a tristresa e o mal nos numca
vamos gostar de fazer isso e nunca vamos fazer isso com os outros

Anónimo disse...

gostei muito do seu site me ajuda muito nos trabalhos e ainda me ajuda a entender um pouco mais do bullying

Anónimo disse...

ODEIOO BULLYING !! nao faça isso com os outros se nao quer que façao com voce !

israel disse...

parabens por esse site..
fiquei muito contente
por esse site ser tao
específico em relação
a bullying"'

muitas crianças sofrem
o bullyng e tem medo
de denuciar o agressor,
mais com esse site ficará
mais facil das criançãs
saberem que está sofrendo
um crime barbaro...

ass: israel resende

Anónimo disse...

ola a todos eu sou a sara.eu sou alvo de bullying na escola,estou aqui para contar a minha historia:
-eu tenho 15 anos,toda a gente diz que sou um bocado maria rapaz pois gosto de futeboll.um dia estava com as minhas amigas no recreio e um moço chamou-me e perguntou se eu queria jogar com ele eu disse que sim mas so se fosse um jogo amigavel e ele concordou mas eu marquei um golo e todos gosaram com ele a dizer que estava a perder com uma miuda ele nao ademitio e bateu-me desde entao ele esperava por mim para me bater!!!eu ja começava a ter medo de ir paraa escola e quando chegava a casa nao me aptecia fazer nada..parecia que estava numa jaula e cada vez eu ficava mais apertada la dentro se me estao a perceber.quando me deu uma ideia de contar a meus pais e depois a directora da escola,no dia seguinte a minha mae foi falar do que se passava comigo e ele arrependeu-se, agora somos amigos e hoje tve um jogo com ele e ganhei e ele nao me fez nada!!!!

(nestas cituaçoes o mais importamte é falares com as pessoas que te rodeiam!!!!)

Anónimo disse...

esse blog é de portugal? eu sou brasileira e não estou entendendo o significado de algumas expressões.